ANIVERSÁRIO DA BIBLIOTECA LÍDIA JORGE FOI COMEMORADO COM APRESENTAÇÃO DE LIVRO DE FERNANDO CORREIA

Versão de impressãoVersão PDF

A Biblioteca Municipal Lídia Jorge fez 14 anos no dia 17 de dezembro. Para assinalar a data, a Autarquia convidou Fernando Correia para apresentar o seu mais recente livro “São Lágrimas, Senhor, São Lágrimas”, que retrata o flagelo da violência doméstica. Com um acervo superior a 45 mil livros, a Biblioteca Municipal de Albufeira é um espaço cultural de relevo, que recebe diariamente cerca de 100 visitas, entre os 12 mil utilizadores inscritos.

No dia 17 de dezembro de 2004 nasceu a Biblioteca Municipal de Albufeira. Um espaço cultural com a missão de satisfazer as necessidades de informação, cultura, lazer e educação da comunidade, através da promoção de hábitos de leitura e da prestação de um conjunto de serviços gratuitos, com base na igualdade de acesso para todos.

Volvidos 14 anos, a Biblioteca Municipal conta com cerca de 12 mil utilizadores, 100 visitas diárias e 45.400 livros. “Esta é uma casa onde se procura e onde se conquista o saber. Um espaço da comunidade e para a comunidade”, salientou o presidente da Câmara, José Carlos Rolo, que destacou também o importante papel do livro na transmissão de conhecimento: “escolhemos assinalar o 14.º aniversário da biblioteca com a apresentação de um livro, que relata um problema social, um tema tabu, que necessita de ser divulgado e debatido para que todos ganhemos consciência da problemática e possamos agir em consonância”.

O livro apresentado por Fernando Correia relata “casos reais de violência doméstica, narrados com coragem, na esperança de lhes pôr um fim”. O autor contou parte da história da sua vida, num ambiente intimista, em que fez questão de sensibilizar os presentes para a importância de cada um dar o seu contributo para mudar o mundo à sua volta. “Tenho escrito livros de causas, de sofrimento, de verdade, com o objetivo de passar uma mensagem de amor e de coragem. Desde que o ser humano queira, tudo é possível”, garantiu.

Durante a apresentação do livro “São Lágrimas, Senhor, São Lágrimas”, a diretora da Segurança Social de Faro referiu que “o livro contribui para a mudança. Ao escolher este livro para assinalar o aniversário da sua biblioteca, o Município de Albufeira mostra uma preocupação social sobre o tema, que é tão feio (a violência), mas que é tão importante para o nosso futuro. E, acima de tudo, dá um sinal que não queremos ser cúmplices em mais mortes. Queremos assegurar a defesa dos direitos humanos”, destacou Margarida Flores Alves, em representação da secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro.

As comemorações do 14.º aniversário da Biblioteca Municipal que, em 2009, passou a designar-se de Lídia Jorge, em homenagem à escritora algarvia homónima, fizeram antever a criação de uma valência cultural em Ferreiras. Quem o afirmou foi Ana Pífaro, vice-presidente da Câmara Municipal que assume pasta da Cultura: “Quero agradecer o papel dos técnicos e colaboradores deste espaço cultural que ao longo destes 14 anos têm contribuído para que a nossa Biblioteca seja um sucesso a nível regional. Vamos, por isso, criar um polo na freguesia de Ferreiras, cujo contrato deverá estar assinado até ao final do ano”.

A encerrar os discursos, o presidente da Assembleia Municipal afirmou que “esta é uma forma real e transparente de elogiar aquilo que deve ser a cultura: não ter medo das palavras, não ter medo de provocar sentimentos nos outros, não ter medo da verdade. Porque a Biblioteca Municipal também serve para isso”, salientou Paulo Freitas.

O aniversário terminou em festa, com o corte do bolo ao som dos “Parabéns a você” e de um brinde a mais um ano de sucesso deste espaço cultural.

Galeria de Fotos: 

Seção do Portal: 

Data de Publicação: 

19/12/2018