Consultas de Documentação

E.g., 2021/06
Título/Referênciaordenação descendente Data do Documento Descrição Descarregar o Documento
Aviso à População 2018/09/21

Aviso N.º AP/38/DCS​ - 2018-09-21 - 16h00 - Perigo de Incêndio Rural


​Situação:

De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, prevê-se para os próximos dias:

  • Subida gradual da temperatura máxima entre o próximo dia 22 e o dia 24, fixando-se na generalidade do país acima dos 30º C, podendo atingir valores próximos ou iguais a 40º C em particular nas regiões do vale do Tejo e Alentejo interior..
  • Temperatura mínima com valores acima dos 20ºC em particular nas regiões Centro e Sul.
  • Tempo quente e seco com fraca recuperação noturna.
  • Sábado, vento em geral fraco do quadrante norte, soprando temporariamente moderado (até 30 km/h) do quadrante Leste nas terras altas até meio da manhã e moderado (até 35 km/h) de noroeste no litoral oeste e terras altas durante a tarde. Humidade relativa baixa (<25%) no interior durante a tarde.
  • No domingo, vento em geral fraco do quadrante Leste (moderado até 30 km/h nas terras altas), soprando temporariamente moderado (até 35 km/h) no Algarve, sendo moderado (até 30 km/h) de noroeste no litoral oeste a partir da tarde, e rodando para Nordeste forte (até 45 km/h) a partir das do início da noite.

 

Este cenário meteorológico traduz-se num índice de risco de incêndio em nível muito elevado e máximo na generalidade dos municípios das regiões do interior Norte e Centro, Alentejo e Algarve e em nível elevado na maioria dos restantes municípios dessas regiões.


​Efeitos expectáveis:

Em função da previsão das condições meteorológicas é expectável:
Tempo quente e seco, com incidência nas condições favoráveis à eventual ocorrência e propagação de incêndios rurais.


Medidas Preventivas:

A ANPC recorda que, de acordo com as disposições legais em vigor, não é permitido:

  • Realização de queimadas, de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confeção de alimentos;
  • Utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confeção de alimentos;
  • Queimar matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração;
  • O lançamento de balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes;
  • Fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem;
  • A fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.


A ANPC recorda ainda alguns cuidados especiais a ter, face às condições meteorológicas previstas, na realização de trabalhos agrícolas e florestais, nomeadamente:​

  • Manter as máquinas e equipamentos limpos de óleos e poeiras;
  • Abastecer as máquinas a frio e em local com pouca vegetação;
  • Ter cuidado com as faíscas durante o seu manuseamento, evitando a sua utilização nos períodos de maior calor.


A ANPC recomenda ainda a necessidade de todos adequarem os comportamentos e atitudes face à situação de perigo de incêndios rurais, nomeadamente com a adoção das necessárias medidas de prevenção e precaução, observando as proibições em vigor e tomando especial atenção à evolução do perigo de incêndio para os próximos dias, disponível junto dos sítios da internet da ANPC e do IPMA, junto dos Gabinetes Técnicos Florestais das Câmaras Municipais e dos Corpos de Bombeiros.

PDF icon Aviso á população
Aviso à População 2018/10/01

Aviso N.º AP/42/DCS​ - 2018-10-01 - 14h30 - Aumento do Risco de Incêndio Rural


​Situação Meteorológica:

Na sequência da informação meteorológica disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), para as próximas 48 horas, salientam-se as condições de severidade meteorológica inerentes à continuação de tempo seco e quente, com intensificação do vento de quadrante leste, teores de humidade relativa muito baixos na generalidade do território e com agravamento significativo do risco de incêndio.

 

PDF icon Aviso à população
Aviso AMARELO do IPMA emitido para o Algarve 2016/08/05

Face ao Aviso AMARELO do IPMA emitido para o Algarve, a ARS Algarve recomenda a adoção de medidas gerais de prevenção do impacto do calor na saúde da população em geral e das pessoas mais vulneráveis. Chama-se especial atenção para os cidadãos que possam ter mais suscetibilidade aos efeitos do calor, nomeadamente os doentes crónicos, crianças até 1 ano de idade, idosos, não esquecendo o dever cívico de todos, na proteção das pessoas que nos rodeiam também vulneráveis, como os familiares, vizinhos e idosos que vivam isolados. Para o esclarecimento de dúvidas sobre o impacto do calor na saúde, deverá ser utilizada o atendimento telefónico gratuito - Linha de Saúde 24 (808 24 24 24). Reforça-se a importância da hidratação e permanência em locais mais frescos/ climatizados para manter o corpo fresco.”

Clique para aumentar Clique para aumentar
Aviso n.º 01/2013 2013/01/17

Aviso à População - Precipitação e Vento Forte

PDF icon aviso_01_2013_anpc.pdf
Aviso n.º 01/2013 - SMPC 2013/10/23

Aviso à População - Precipitação e Vento Forte

PDF icon aviso_smpc_1_2013.pdf
Aviso n.º 03/2014 2014/01/16

Aviso à População - Precipitação, vento forte, neve e agitação marítima

PDF icon aviso_03_2014_anpc.pdf
Aviso n.º 04/2013 2013/02/21

Aviso à População - Precipitação, agitação marítima e vento forte

PDF icon aviso_04_2013_anpc.pdf
Aviso n.º 06/2013 2013/06/24

Aviso à População - Tempo quente e seco

PDF icon aviso_06_2013_anpc.pdf
Aviso n.º 07/2013 2013/06/26

Aviso à População - Tempo quente e seco

PDF icon aviso_07_2013_anpc.pdf
Aviso N.º 1/2016 - ANPC 2016/01/07

Aviso N.º 1/2016 - 07 Janeiro 2016 - 15:00 - Condições Meteorológicas Adversas

​Situação Meteorológica:

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), realizado hoje pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), e de acordo com a informação meteorológica disponibilizada salienta-se para os próximos dias um agravamento das condições meteorológicas atuais, com especial destaque para as regiões a norte do rio Tejo e, em particular, as regiões do Minho e Douro Litoral. Destacam-se como principais fatores:

  • Precipitação persistente com picos de maior intensidade (>10 mm/h) durante o dia de amanhã (08jan) e no domingo (10jan), cujos acumulados podem ultrapassar os 200 mm durante este período;
  • Queda de neve acima dos 1400m (podendo descer pontualmente aos 1200m);
  • Vento a soprar forte com rajadas da ordem dos 90 km/h no litoral e 100 km/h nas terras altas;
  • Agitação marítima na costa ocidental com ondas até 5m.


Informação hidrológica relevante:

  • Escoamento superficial e sub-superficial tendencialmente elevado, podendo originar inundações rápidas em zonas historicamente vulneráveis, mais prováveis nas bacias dos rios Minho, Lima Cávado, Ave, Vouga, Douro e Mondego. Não são de excluir eventuais situações de cheias provocadas pelo aumento de caudal das principais linhas de água.
  • As condições de saturação dos solos favorecem a possibilidade de ocorrência de deslizamentos em zonas de declive mais acentuado.


Efeitos expectáveis:
Em função das condições meteorológicas presentes e previstas é expectável:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preiamar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Possíveis acidentes na orla costeira;
  • Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.


​Medida de auto-proteção:
A ANPC recomenda à população a tomada das necessárias medidas de prevenção, nomeadamente:

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e gelo nas vias;
  • Transporte e colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas atingidas pela queda de neve;
  •  Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atenta para a possibilidade de queda de ramos ou árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a inundações rápidas;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
PDF icon Aviso à População SMPC Albufeira

Páginas