DiVaM: “TEMOS CONDIÇÕES PARA DAR VIDA AO NOSSO PATRIMÓNIO”

Versão de impressãoSend by emailVersão PDF

Paderne foi o monumento escolhido para apresentação, no passado sábado, do Programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos do Algarve (DiVaM) deste ano. Um motivo para muitas das associação culturais da região descobrirem os encantos do Castelo, numa altura em que Paderne foi considerada uma das Sete maravilhas das Aldeias de Portugal – Aldeias Rurais. Este ano, o DiVaM contempla 25 projectos de 19 associações culturais e Universidade do Algarve, os quais compreendem 48 ações.

Depois de um enquadramento histórico do Castelo de Paderne, feito pelo técnico do Município de Albufeira, Luís Campos Paulo, a diretora regional de cultura do Algarve, Alexandra Gonçalves, apresentou as ações que irão ser desenvolvidas no Algarve ao longo deste ano, ao abrigo da quarta edição do DiVaM - Programa de Dinamização e Valorização dos Monumentos do Algarve, cujo orçamento se cifra em 52 mil euros.

 “Lugares da Globalização” é o tema deste ano e apesar da recuperação de uma parte significativa dos projectos anteriores, salienta-se de entre as novidades, a construção de uma caravela quinhentista no âmbito do projecto “Nova Escola de Sagres”. Quanto ao Castelo de Paderne recebe os projectos “Observação das Estrelas”, pelo Museu Municipal de Arqueologia, no dia 12 de Agosto, “Na rota da Música”, pela Sociedade Musical e de Recreio Popular de Paderne, a 17 de Setembro e por “Tantos mundo num só lugar – Pátria 10 vozes”, que teve lugar após a apresentação do DiVaM, pela Associação Cultural Música XXI.

Alexandra Gonçalves salientou entretanto a candidatura do património algarvio ligado aos Descobrimentos portugueses a Património da Humanidade da UNESCO (a agência das Nações Unidas para a Educação e Cultura), na medida quem que “o DiVaM veio para ficar”, referiu.

Por seu turno, o presidente da Câmara Municipal, Carlos Silva e Sousa, salientando a sua satisfação por ver Paderne incluída nas Sete Maravilhas das Aldeias de Portugal na categoria de Aldeias Rurais, referiu que sendo “o Algarve uma região com pouca riqueza monumental, têm-na, sobejamente do ponto de vista histórico e não só pela sua importância ímpar nas Descobertas. Louvo este programa porque vem-nos reforçar que temos História e conteúdo e isso é essencial para o sector mais importante da região, que é o Turismo. Isto é o que nós somos e como tal, temos que acarinhar a nossa Cultura. Vamos dar vida e luz ao nosso património. Temos condições de excelência para isso”.

Refira-se que esta edição do DiVaM conta com a participação de 19 associações, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve, das autarquias de Albufeira, Aljezur, Faro, Portimão e Vila do Bispo, e do Consulado-Geral do Brasil em Faro.

Galeria de Fotos: 

Seção do Portal: 

Data de Publicação: 

11/04/2017